CIDADÃO ALERTA

Cidadão Alerta!

Porque tenho que votar?


publicada em 24 de outubro de 2018

Em alguns dias teremos mais uma oportunidade para decidir o destino do Brasil: você tomou a sua decisão ou vai ficar à margem desse processo ?


Porque tenho que votar?
 
Esta é uma pergunta que provavelmente se fizeram os cerca de quarenta milhões de eleitores que no primeiro turno das eleições não comparecerem as urnas (30 milhões), votaram em branco (3 milhões) ou anularam os seus votos (7 milhões).     Este é o tipo de dúvida que certamente não passou pela cabeça dos 107 milhões de brasileiros que compareceram as urnas e exerceram o seu direito de cidadania, votando nos candidatos que escolheram.
E qual a diferença entre votar, não votar ou anular o voto?   Esta é o tipo de dúvida que creio cidadão nenhum jamais deveria ter, contudo entendo a dificuldade de alguns em acessarem as informações sobre os candidatos, quer através das propagandas eleitorais, quer através dos sites de pesquisa ou redes sociais.
Em qualquer país o processo  eletivo faz parte do sistema politico administrativo, ou seja, para que o estado seja governado é necessário que os seus cidadãos escolham entre a sua população representantes confiáveis, ficha limpa e preparados para ocuparem certos cargos nas três esferas administrativas: municipal (prefeito e vereadores), estado (governador e deputados) e federal (presidente, senadores e deputados).  Onde este processo não é observado os países se tornam ingovernáveis ou viram ditaturas, como é o caso de Cuba, Coréia do Norte, Venezuela, entre outros, nos quais os poderes estão centralizados nas mãos de poucos e o povo não tem direito nenhum.
O cidadão que não participa do processo eletivo, ou seja, deixa de votar, vota em branco ou anula o seu voto, está renegando ao seu sublime direito de participar da vida em sociedade, da defesa do direito que a constituição lhe outorga de poder votar e ser votado, de poder escolher, entre todos os candidatos, aqueles que podem legitimamente representar a população e trabalhar pelo bem comum, pela manutenção da democracia e  desenvolvimento do país.
O que tem se observado é que aqueles que não votam, votam em branco ou anulam o seu voto, são na maioria pessoas que se sentem bem com a situação atual e não se preocupam com o resto da população. Crise econômica, política, pobreza, falta de segurança, desemprego, educação e saúde não lhe dizem respeito.  Isso é problema dos outros, dos políticos ou de quem precisa desses serviços.  Que não esqueçam eles que os ventos mudam e o que está bem hoje pode não estar amanhã e sua posição de conforto pode mudar.
Conclamo essas pessoas a refletirem sobre isso, a exercerem o seu direito de cidadania, para que juntos, em nome de todos brasileiros, possamos eleger pessoas que estejam comprometidas em trabalhar seriamente pelo nosso país, pelo bem de todos, mudando paradigmas, combatendo a corrupção e construído um país melhor para todos. A oportunidade está aí e não podemos desperdiçá-la; vamos no próximo dia 28 votar massivamente para que o melhor candidato entre os dois concorrentes possa ser eleito o nosso próximo presidente.



Versão para impressão  |  Envie para um amigo  |  Deixe seu comentário




Comentários

Nenhum comentário ainda foi registrado.
Seja o primeiro a comentar! Clique aqui ››
CIDADÃO ALERTA - 2018