Cidadão Alerta!

A COPA QUE NINGUEM DEVERIA VER


publicada em 04 de junho de 2014

QUE VERGONHA!!!!    É ESSE  O  BRASIL QUE QUEREMOS?

Os problemas com a “festa da copa” são mais sérios do que parecem.  Não são somente os gastos escandalosos com os estádios, atrasos das obras de infraestrutura (aeropostos, acessos, etc.) e acidentes do trabalho, mas também a “limpeza” de moradores de rua, para melhorar a aparência das cidades, conforme denuncia o jornalista dinarmaquês Mikkel Keldrof Jensen, em matéria que foi publicada em vários periódicos no Brasil e no exterior, conforme abaixo:

Jornalista dinamarquês desiste de cobrir a Copa depois do que viu em Fortaleza
.






MIKKEL KELDORF JENSEN


Quase dois anos e meio atrás eu estava sonhando em cobrir a Copa do Mundo no Brasil. O melhor esporte do mundo em um país maravilhoso. Eu fiz um plano e vim estudar no Brasil. Aprendi português e estava preparado para voltar.
Voltei em setembro de 2013. O sonho seria cumprido. Mas hoje, dois meses antes da festa da Copa, decidi que não vou continuar aqui. O sonho se transformou em pesadelo.

Durante cinco meses fiquei documentando as consequências da Copa. Existem várias: remoções, Forças Armadas e PMs nas comunidades, corrupção, projetos sociais fechando. Descobri que todos os projetos e mudanças têm como objetivo pessoas como eu – um gringo e também uma parte da imprensa internacional. Eu sou um cara usado para impressionar.

Em março, estive em Fortaleza para conhecer a cidade mais violenta a receber um jogo de Copa do Mundo até hoje. Falei com algumas pessoas que me colocaram em contato com crianças da rua e fiquei sabendo que algumas estão desaparecidas. Muitas vezes, são mortas quando estão dormindo à noite em áreas com muitos turistas. Por quê? Para deixar a cidade limpa para os gringos e a imprensa internacional? Por causa de mim?

Em Fortaleza eu encontrei Allison, 13 anos, que vive nas ruas. Um cara com uma vida muito difícil. Ele não tinha nada – só um pacote de amendoins. Quando nos encontramos ele me ofereceu tudo o que tinha, ou seja, os amendoins. Esse cara, que não tem nada, ofereceu a única coisa de valor que tinha para um gringo que carregava equipamentos de filmagem no valor de R$ 10.000 e tinha um MasterCard no bolso. Inacreditável.

Mas a vida dele está em perigo por causa de pessoas como eu. Ele corre o risco de se tornar a próxima vítima da limpeza que acontece em Fortaleza.

Eu não posso cobrir esse evento depois de saber que o preço da Copa não só é o mais alto da história em reais e centavos – também é um preço que, estou convencido disso, inclui vidas de crianças.

Hoje, vou para a Dinamarca e não voltarei para o Brasil. Minha presença só está contribuindo para um desagradável show. Um show de que eu, dois anos e meio atrás, sonhava participar. Mas hoje eu vou fazer tudo que estiver ao meu alcance para criticar e focar no preço real da Copa do Mundo do Brasil.

Alguém quer dois ingressos para o jogo entre França e Equador no dia 25 de Junho?


*O dinamarquês Mikkel Jensen é jornalista independente

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Matéria publicada por Veja:
http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/feira-livre/jornalista-dinamarques-desiste-de-cobrir-a-copa-depois-do-que-viu-em-fortaleza/

Matéria Publicada pelo Grupo Emissoras Undidas, da Colombia:
http://atmosfera.emisorasunidas.com/minisitios/peoresnada/en-brasil-matan-por-la-noche-ni%C3%B1os-de-la-calle-para-limpiar-las-ciudades-y-dar


Versão para impressão  |  Envie para um amigo  |  Deixe seu comentário




Comentários

Nenhum comentário ainda foi registrado.
Seja o primeiro a comentar! Clique aqui ››
CIDADÃO ALERTA - 2017